segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Esperança antiga

Enquanto alguns festejavam e celebravam o Natal, o chefe de Estado guineense, João Bernardo Vieira nomeava, finalmente, o líder do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), Carlos Gomes Júnior, como novo primeiro-ministro da Guiné-Bissau.

Esta decisão presidencial, com data de 25 de Dezembro, vem na sequência dos resultados das últimas eleições legislativas realizadas no dia 16 de Novembro e que deram a vitória ao PAIGC com a obtenção de 67 lugares na Assembleia Nacional Popular (composta por 100 deputados). Resulta desta vitória a obtenção da maioria qualificada dos votos.

O decreto que nomeia Carlos Gomes Júnior como Primeiro-ministro ressalva, contudo, que este só iniciará essas funções com a sua investidura no cargo, cerimónia cuja data ainda não foi anunciada. Aguarda-se com expectativa a concretização desse momento e a consequente formação do novo Governo. Queremos trabalhar.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Abelha obreira

No dia 23, em jeito de preparação, fomos à festa de Natal do lar Abelha Obreira. Um lar onde vivem muitas das crianças que estudam na escola Bengala Branca. Para quem já conhece de trás, não é difícil de imaginar, que grande parte das crianças que ali vivem são órfãs e cegas. Uma grande parte dos caixotes com roupas que me enviaram ficaram neste lar.

A animação foi grande e é difícil estarmos com eles e não nos sentirmos bem. Há sempre muito contacto pois é assim que vêem e têm mais percepção daquilo que os rodeia. Tivemos um lanche e houve também música e poemas. Alguns especialmente para nós.




O cozinheiro Maurício pediu-me um livro de cozinha. Se alguém tiver algum para enviar…

Natal em África

Como escrevi um dia destes a aventura em África contínua. Já passaram mais de oito meses e continuo por aqui. Não existem razões de queixa. A Guiné-Bissau é um país fascinante, cheio de contrastes e onde se aprende todos os dias as coisas mais simples da vida. Sem dúvida que aqui as preocupações e necessidades sentidas por muitos são verdadeiramente outras. Este ano o meu Natal, para quem ainda não sabia, está a ser vivido em Bissau. As ausências têm de ser ultrapassadas. São vários os motivos mas a experiência não ficaria completa sem um Natal passado nesta terra…

As tradições são diferentes. Sente-se pouco o clima de festa. As ruas ficaram meio desertas e quase todo o comércio fechou. Os feriados, independentemente daquilo em que se acredite, são para se respeitar religiosamente. A agitação das compras passa completamente ao lado. Não há centros comerciais ou ruas com grandes lojas. Vive-se com muito menos. Falei com algumas pessoas que me disseram não saber se teriam dinheiro para ter arroz em casa durante estes dias de Natal. Não se vê as tradicionais iluminações de Natal nas ruas (até porque não há electricidade!) e também não há pessoas a passear com sacos coloridos cheios de presentes… tudo é mais calmo e quase todos ficam em casa.

A religião maioritária não é a católica mas sim a muçulmana, seguida de muito perto pelos animistas. A Missa do Galo foi na Catedral às 21h30 mas eu só fui no dia seguinte. Houve cânticos e animação mas não tanta como na missa da véspera. De manhã já não houve presépio vivo com o Menino Jesus de sapatos. A igreja é parecida com as grandes catedrais que conhecemos mas muito diferente…

Alguns dos que por cá ficamos organizámos um jantar na véspera de Natal e no final éramos 13. Havia várias nacionalidades mas não tantas como de costume. Estavam representados: Portugal, Itália, Espanha, Dinamarca, Eritreia, Inglaterra. Acho que não me esqueci de ninguém. Várias religiões e tradições. Todos contribuímos para a festa e havia comida para todos os gostos. Tivemos direito entre outras coisas a queijos e chouriços, camarões, tortellini e dois pratos de bacalhau. As lulas ficaram para o dia seguinte. Houve sumol de laranja light e também mousse de chocolate, bolos, torrones e figos. Não dançamos à volta da árvore como outros mas fizemos uma troca de presentes.

Ontem joguei ténis à tarde.

Espero que todos dentro do possível tenham tido um Santo Natal ou feito por isso.

domingo, 21 de dezembro de 2008

Momento magnum

Momento alto do fim de semana: comer um magnum de amendoas! São prazeres da vida negados em Bissau. Foram quase 4 meses de espera... mas consegui finalmente encontrá-los num supermecado em Ziguinshor (Senegal).

Quando será o próximo?

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Fuga da Tartaruga (cont.)

A pedido do BCG aqui segue a continuação da fuga da tartaruga para o mar… dizem que sopa de tartaruga é óptima e a omolete também.

No fim de semana Ziguinshor (onde se faz uma coisa parecida com compras) e Cap Skiring (boa praia).

video

4. Continuação do terceiro filme. A fuga da tartaruga com final feliz?

Western Union

Bissau foi esta semana, ao contrário do que é habitual, palco de alguma violência.

Se na semana passada dois comerciantes libaneses foram abatidos à queima-roupa na sua residência num crime que segundo as autoridades aponta para um ajuste de contas relacionado com o tráfico de drogas, esta semana Bissau foi assolado por uma estranha onde de assaltos. Sendo talvez o que chamou mais a atenção o que teve lugar nas instalações da Western Union em estilo BES de Bissau.

Dizem os jornais: “Homens armados com espingardas AK-47 e pistolas assaltaram segunda-feira de manhã uma agência da empresa de transferência de dinheiro "Western Union" situada no centro de Bissau, declarou o gerente da filial, Apa Mbodj. Durante o assalto, os bandidos roubaram cerca de 12 milhões de francos CFA (24 mil dólares americanos). "Os nossos guardas não estão armados e não conseguiram fazer face aos assaltantes. Felizmente não alimentamos muito as caixas. Os malfeitores apanharam um táxi para fugir e segui-os em vão", deplorou o gerente da agência, acrescentando que este ataque é o sinal da instabilidade e da falta total de segurança na Guiné-Bissau. "É lamentável para os investidores, porque há várias coisas que acontecem agora", disse Mbodj, que exortou o Governo a restaurar a autoridade do Estado e garantir a segurança dos cidadãos e dos investimentos no país. João Gomes, caixa da agência testemunha do assalto, afirmou que "os três assaltantes estavam armados com espingardas de assalto AK-47 e pistolas Makarov de marca russa".

Em relação ao assalto podemos fazer várias apreciações mas destaco duas curiosas (como também comentou o D). Primeiro o funcionário do Banco sabia identificar claramente as armas pelo seu nome quando provavelmente o comum dos mortais nem sabe que existem pistolas makarov e em segundo realce-se o facto de os assaltantes terem apanhado um táxi para fugir, o que demonstra que pelo menos o serviço de táxis continua a funcionar bem.

http://www.panapress.com/freenewspor.asp?code=por001683&dte=16/12/2008

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Praia das tartarugas

Com a colaboração artística da minha amiga esquimó aqui seguem alguns filmes de João Vieira, de Poilão e das tartarugas. São do primeiro fim de semana de Dezembro.

video

1. Tartaruga com minutos de vida pós saída do ovo.

video

2. Praias de João Vieira. Extensões de areia de perder de vista. Passeio de quase 4 horas com mergulhos pelo meio e volta à ilha.

video

3. A fuga da tartaruga para o mar enquanto é presseguida por uma dinamarquesa de olhos em bico.

Apertar o cinto

Enquanto em Portugal se discute apaixonadamente a questão da avaliação dos professores aqui na Guiné-Bissau os professores lutam (apenas) por receber os quase 5 meses de salários em atraso. Uma realidade bem diferente e que nos deveria ajudar a reflectir. Não fosse o povo guineense calmo e paciente, teríamos hoje nas ruas uma situação bastante complicada. Custa perceber como muitos conseguem sobreviver nas actuais circunstâncias.

Dizia há poucos dias a MSE da Lusa: “Vazia. É assim que se encontra a maior escola de Bissau, capital da Guiné-Bissau, com capacidade para oito mil alunos, que aguardam o início do ano lectivo, apesar de ter sido oficialmente declarado aberto em Outubro. O Liceu Nacional Kwame N'Krumah espelha o que se passa nos outros estabelecimentos do ensino secundário e básico público do país, abrangendo cerca de 400 mil estudantes. Na Guiné-Bissau o ano escolar não começou porque os professores reivindicam o pagamento de salários em atraso. Os professores guineenses iniciaram a 5 de Dezembro uma greve que só vai ser levantada depois do pagamento de quatro meses de salários em atraso. Apesar de oficialmente aberto em Outubro, os alunos nunca tiveram aulas, porque já naquele momento os professores não compareceram, exigindo os pagamentos em falta."

A grave situação pela qual estão a passar os professores do ensino público na Guiné-Bissau é alargada a toda a Função Publica. Trabalhar sem receber há quase 5 meses é a situação real em que vivem vários milhares de funcionários. A semana passada o Governo revelou não estar em condições de pagar os quatro meses salários que deve aos funcionários de Administração Pública guineense. “De acordo com o titular da pasta da Função Pública da Guiné-Bissau, os servidores de Estado devem “apertar o cinto” porquanto o Executivo de Bissau liderado por Carlos Correia não está em condições de liquidar as dívidas de salários em atraso e pediu desculpas uma vez que o pagamento de salário na Função Pública e a realização das eleições legislativas de 16 de Novembro eram as duas prioridades do Governo.”

http://www.agencialusa.com.br/index.php?iden=21192

http://www.guine-bissau.com/portal.aspx?link=public/viewnews.ascx&menuindex=0&newsid=3482

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Ninhos de tartaruga

Regressámos a João Vieira e às ilhas do sul para mais um excelente fim de semana de descanso, convívio, passeio e pesca. Conseguimos ficar alheados de tudo e recuperar energias mesmo quando ao fim do dia estamos esgotados. O grupo ajuda e somos sete ou oito nacionalidades diferentes numa dúzia de pessoas. Uns deixaram de ser invisíveis e isso é óptimo.




Aproveitámos também para ir até Poilão. A ilha onde as tartarugas se reproduzem. A época está a chegar ao fim. Ainda tivemos oportunidade de ver algumas dezenas a nascer. Depois foi ajudá-las a entrar no mar. Não trouxemos nenhuma para casa. Em princípio agora só para o ano se conseguem ver mais. Para alguns foi mesmo a primeira vez e para os outros é como se fosse. Faltam os filmes mas publico em breve.




No fim de ano devemos passar lá muito perto.

Ajudar Cumura

Jantar de Natal no dia 17 de Dezembro, quarta-feira, às 19h30min, no Espaço Tropicana, em benefício de Projecto de Atenção à Saúde de Mães Seropositivas e seus bebés, desenvolvido pela Maternidade do Hospital Católico de Cumura, a cerca de 6km do centro de Bissau.


sábado, 13 de dezembro de 2008

Casa do Presidente

Um dia destes tive de tirar umas fotografias da casa do Presidente da Guiné-Bissau, João Bernardo Vieira. A ideia era registar as consequências materiais do ataque que teve lugar na madrugada do dia 23 de Novembro. Foi uma visita com muita história como podem imaginar.

Deixo algumas fotografias que não comprometem.




segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Bengala Branca

Existe o ambiente fantástico de Bissau e existem as ilhas e paisagens paradisíacas da Guiné-Bissau e existe também um outro lado que não pode ser esquecido. Desta vez fui visitar uma escola e um orfanato. A particularidade é o facto de se ocuparem essencialmente de cegos e mudos.

A Escola Bengala Branca é uma das raras organizações guineenses que se ocupa da educação dos invisuais na Guiné-Bissau e visa ajudar socialmente estas crianças e alguns adultos nas áreas da deficiência visual e auditiva. Como devem imaginar não há muitas instituições do género no país. Os apoios não são muitos e toda a ajuda parece insuficiente. A Cooperação Portuguesa tem participado.



Recebi os caixotes com muita roupa e alguns brinquedos. Obrigado pelo trabalho de recolha e empacotamento em Lisboa. Depois aproveitando a vinda da CH até Bissau, organizámos a distribuição. A vontade é a de querer fazer muito mais. Tudo o que vier é sempre bem-vindo. Há sempre lugar para entregar.

A escola não tem os padrões a que estamos habituados mas em cada aluno e professor se vê uma vontade enorme de aprender e estar ali. São apenas 3 salas de aulas às portas de Bissau construídas em verga e madeira e um pouco perdidas no espaço. As questões de insonorização passam ao lado. Cada uma das salas com duas turmas de alunos. Há mistura de cegos, mudos e algumas poucas crianças sem deficiência. São cerca de 140 alunos distribuídos em dois turnos, manhã e tarde. Querem ler para nós e mostrar o que sabem fazer. É incrível como tão pequenos e com tão poucas condições conseguem ler com os dedos a uma velocidade tão natural. Ficam contentes pela visita e por se lembrarem deles.




O orfanato Abelha Obreira procura receber algumas destas crianças que precisamente por serem portadores de alguma deficiência são postas de parte. Há muitas crianças assim. O orfanato fica perto do bairro de Quelélé e foi aí que deixei os caixotes. A alegria das crianças ao verem ou sentirem as roupas, sapatos e bonecas foi enorme.

As situações vividas por algumas das crianças são bastante duras. Os casos de abandono são muitos. Um bebé com pouco mais de um ano foi deixado na lixeira… e recolhido pela Igreja que o entregou ao orfanato. Abandonada por ser cega. Não se sabe a sua idade e ainda não fala. Mas tem uma vontade como todas as crianças do lar de sentir o que é novo e estar por perto. Têm vontade de tocar em tudo. Querem todos conhecer-nos e usam as mãos.


É naturalmente arrepiante mas foi uma sensação óptima sentir que ajudámos um pouco e que conseguimos dar um sorriso a muita gente.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Bangkok em espera

Na Guiné-Bissau o aeroporto internacional Osvaldo Vieira não fechou. Ao contrário de outros aeroportos por esse mundo fora. A situação em Bangkok parece continuar complicada e vários milhares de pessoas ficaram impossibilitadas de viajar até aquele destino. Por sua vez milhares de outras pessoas encontram-se retidas aguardando pela abertura dos aeroportos da cidade para regressarem aos seus países.

Os bloqueios na Tailândia já duram há mais de uma semana. Trata-se de um braço-de-ferro entre simpatizantes da monarquia e os apoiantes do Chefe de Governo, que a oposição acusa ser um instrumento do primeiro-ministro deposto Thaksin Shinawatra.

Não sou a pessoa mais indicada para comentar a actualidade política na Tailândia mas deixo um blogue que pode ajudar: http://frombangkok.blogspot.com/

Entretanto todos aqueles que ficaram com as viagens e férias adiadas podem sempre vir até Bissau… aqui mesmo com tentativas de Golpe de Estado ou tentativas de assassinar o Presidente tudo está aparentemente calmo e com o termómetro nos 30º.