segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Ilhas do mar raso e outro continente

O nível de contraste não podia ser maior e chega a fazer confusão a diferença de privilégios. São mundos diferentes explorados em dias de descanso. Em boa companhia se vai alimentando o espírito. Deixo um pouco das férias em dia de voltar a falar com a SB (quantos anos?) e de festa de Korité.

Primeiro, uma cidade com mais de 8 milhões de habitantes, e que cresce para cerca de 18,9 milhões quando as base é a grande área metropolitana. Desde a sua fundação, em 1625, tem sido um dos principais destinos de imigrantes vindos de todas as partes do mundo. O que faz desta cidade uma das mais cosmopolitas e diversificadas culturalmente.

A região foi habitada originariamente pelo povo Lenape. A história ensina que o primeiro europeu a explorar a região foi o italiano Giovanni de Verrazano. Este terá desembarcado na Ilha de Staten, em 1524, enquanto navegava na costa do continente. Outros exploradores passaram mais tarde pela região, e em 1609 os holandeses apoderaram-se do território. Tendo-lhe dado o nome de Novos Países Baixos e mais tarde de Nova Laranja. Ao londo deste período, Holandeses e Ingleses defrontaram-se várias vezes pela posse da cidade, que passou para as mãos dos últimos em 1674. Um século e alguns anos mais tarde a cidade era capital temporária e local da eleição do primeiro Presidente do país.







Hoje existe muita poluição no ar e na água. O trânsito podia ser bem melhor e o sistema de transporte público necessita de uma rápida remodelação. Será que ninguém reparou que não se consegue respirar no metro? Qual a diferença entre os retalhos do asfalto de Lisboa e o deles? O pior talvez seja andar vários dias à procura por todo o lado de um Haggen Dazs ou Ben & Jerrie’s e nada. Há prédios gigantes, lojas e restaurantes para todos os gostos e um movimento constante da cabeça para cima e para baixo entre uns e outros. Fica-se com dores de pescoço de tanto olhar para arranha-céus em ruas estreitas. Mas também tem coisas boas… é preciso é procurar ou viver por lá.

Segundo, umas horas de viagem mais tarde…

A Geografia teve um papel crucial na história deste país. Em 1492, Cristóvão Colombo chegou ao Novo Mundo pela ilha de São Salvador, a leste deste conjunto de ilhas e ilhéus. Após observar o mar raso em redor das ilhas, consta que terá dito "baja mar" e assim ficou baptizado o arquipélago, também conhecido pelas Ilhas do Mar Raso. No início, antes da chegada do explorador, era habitado pelos índios arauaques e mais tarde, no Séc. XVI, foi ocupada pelos Ingleses. Serviu de refúgio a piratas e tinha como maior exploração o algodão, que entra em declínio com o fim da escravidão. Daí para cá o turismo cresce e passa a ser a riqueza do país. Em 1973 torna-se independente.

Se bem que a sofrer uma influência enorme do continente dominador. Às vezes parece paraíso de filme. As águas são azul-turquesa e as areias brancas. Os tubarões e tartarugas passeiam-se livremente no meio dos barcos afundados...

Desaparecida? Um sinal de vida?


2 comentários:

a girl with thirty disse...

Não me queria chocar , nem a ti mas se não me engano estão a fazer 17 anos! Vivam os reencontros! Adorei as histórias de viagem, e os registos fotográficos. Tenho muito para ler aqui!

Bj
Sofia

Pedro Pessanha disse...

Grande foto a do mergulho com o tubarão em tranquila aproximação. Sei como é, imagino o que sentiste. É único e mais do que meter medo acaba por atrair. abraços,

p