sábado, 10 de outubro de 2009

Linhas sem fronteira

Há dois caminhos principais para lá chegar, um mais curto e o outro que demora um pouco mais. Demos a volta grande e atravessamos a Gâmbia a meio, do interior para a costa. Entrámos pela fronteira de Soma e por isso a viagem esticou-se por mais umas 4 ou 5 horas de terra vermelha e crateras. Podemos sempre dizer que fomos de Bissau a Banjul sem olhar para o mapa! São só três países… Talvez tenham sido mais uns 200km mas enquanto há luz a paisagem é deslumbrante. Atravessámos a zona do Parque Nacional Kiang West, o maior da Gâmbia, com o sol a pôr-se e macacos a esconderem-se... Até ficar noite e já não se ver nada …

Aproveitámos o último feriado nacional e fizemos fim de semana grande. São umas 7 horas de caminho quando se escolhe a melhor opção. Não deixa de ser estranho que num país que diz estar tão avançado a sua principal estrada interna, que corta o país de este a oeste, seja na sua grande parte uma estrada de terra e pedras, cheia de crateras, estilo alvéolo gigante. Por outro lado e bem demonstrativo da forma de governo do país, a toda a hora podemos ter de parar num posto de controlo da polícia ou dos militares.

Estivemos mais em Serekunda e Bacau, onde ficam os hotéis de praia. A qualidade geral é superior e conseguem-se encontrar surpresas. O nível de condições é melhor do que em Bissau, mas muito semelhante ao que se pode encontrar no Senegal. A praia é boa mas não se compara aos Bijagós, a natureza e o isolamento não são o mesmo e não se pode fazer tudo...




Tudo parece ser um pouco mais desenvolvido mas muito longe daquilo que os próprios afirmam. Encontrei alguns semáforos. Alguns a funcionar mas eram só para respeitar às vezes.

Encontram-se supermercados e tentativas de centro comercial. O artesanato é idêntico ao que se vende aqui. As ruas de Serekunda são sujas, as fachadas das lojas também, o aspecto geral é de pobreza. Mesmo que todos os primeiros Sábados do mês seja dia nacional de limpeza (não se pode trabalhar só limpar), os resultados não têm sido muito bons… Entre semelhanças e diferenças com Bissau, consigo encontrar mais da primeira.



A pedido de alguns e com receio de represálias de alguns leitores mais assíduos não posso contar tudo. Tenho de aceitar alguns requerimentos de contenção quando justificados…

Entretanto vou estar fora uma semana.

1 comentário:

Marta Mauleon Boavida disse...

As fotografias sao cada vez melhores. Parabéns pelo blog.