domingo, 8 de fevereiro de 2009

Atraso no tempo

Aproveitando a vinda a Bissau de mais uma equipa de avaliação de Bruxelas (um dos motivos da minha ausência) fomos às ilhas. A altura não foi a melhor. O mês de Janeiro não costuma ser e este parece que foi ainda pior. Tivemos mais frio e mais vento. As temperaturas baixam e têm uma oscilação maior entre a mais alta e mais baixa. A média anda pelos 20º a 30º graus. Falar portanto em frio na Guiné é relativo. De qualquer maneira é a altura dos Kispos e Anorakes. Quem os tem faz questão de mostrar e tem piada.

Embora o mar não estivesse perfeito e a proibição de navegação para as canoas de passageiros estivesse interdita, lá conseguimos barco para as ilhas. Apanhámos ondas grandes e vento forte. Já estávamos à espera e fizemos uma paragem extra em Canhambaque até que o panorama melhorasse. Não foi uma perda de tempo. Muitos não tínhamos ainda visitado a ilha e assim conseguimos ir até à tabanca e aprender um pouco mais.





Canhambaque é conhecida por ser uma das ilhas Bijagós que mais preservou a sua cultura e portanto que se encontra num estado mais puro. As influências do continente não são tão fortes como noutros lugares e isso é fácil de se ver.

Visitámos uma aldeia e a escola. Vemos aquilo que imaginamos de uma aldeia perdida no tempo onde a civilização tem dificuldade em chegar. A pobreza é generalizada e as tradições revelam-se ainda muito fortes. Não há nada que não seja básico. À primeira vista há falta de tudo. As crianças não têm roupas lavadas, sem remendos ou buracos para vestir. Não têm brinquedos ou jogos como as crianças que conhecemos. No entanto nunca nos deixam de falar, fazer muitas perguntas e de transmitir sempre muita alegria e simpatia.








Há mundos diferentes e é impossível não ficarmos a pensar. Foi também a viagem de despedida de Alguém. Já nos havemos de encontrar.

4 comentários:

Hélder Valério disse...

Pois seja bem-vindo de volta meu amigo!
Já estava a sentir a falta dos textos e imagens sempre tão oportunos e interessantes.
Um abraço
Hélder Sousa

alecrim aos molhos disse...

Ainda bem Miguel que a tua janela se voltou a abrir para esse país de sorrisos incandescentes.
Vais nos guiando através da subtileza da tua escrita para chegarmos a este "mundo com alma " olhando as tuas fotos.
Fico sempre com a sensação que caminhando por aqui vejo estes locais onde as crianças não têm "buracos e remendos para mudar"de uma maneira maia doce e profunda.
Obrigada pela partilha e feliz continuação, com 2 a...braços da,
clara

José Batalha disse...

Qual é o seu contacto mail?
Desejava, se possível, informações sobre a Federação de Futebol da Guiné-Bissau e/ou do campeonato de futebol.

José Batalha

Miguel disse...

Caro José Batalha,
A informação desportiva neste país é uma raridade, mesmo no que diz respeito ao futebol. Mais facilmente se acompanha o campeonato nacional de Portugal e se vibra com as vitórias do Benfica do que se sabe os resultados do campeonato guineense. Aconselho-o a consultar a página online da Federação de Futebol da Guiné-Bissau e contactar a mesma via email (federacaofutebol@hotmail.com) ou telefone (+ 245/3201 918).
Cumprimentos,