segunda-feira, 30 de junho de 2008

Pirada trip

Enquanto me delicio com mais uma das mangas da Guiné-Bissau, vou escrevendo sobre o meu fim de semana e mais uma pequena incursão pelo território. Desta vez parti com mais alguns elementos da Missão e fomos fazer reconhecimento de percurso. Um daqueles exercícios típicos de procurar caminhos para fugir em caso de emergência mas que em caso de emergência nunca serão a mesma coisa. Partida de Bissau e chegada a Pirada, uma das fronteiras com o Senegal.

Para não variar acordei às 5h e pouco da manhã e chovia torrencialmente, estilo vinte ou trinta cm de altura, mas aos poucos foi melhorando. Às 8h30 já estávamos em Bafatá a tomar o pequeno-almoço. Mesmo com tudo fechado conseguimos ter direito a um pequeno-almoço caseiro, com ovos, salsichas e bolo acabado de fazer.




A estrada está bastante boa e chega-se rapidamente a Gabu. Por sinal cidade com muitos burros (animais) e também cidade escolhida pelo PAIGC para (finalmente) organizar durante alguns dias o seu congresso. Estavam lá as altas instâncias do partido.

De Gabu a Pirada a estrada já não é tão simpática e ainda se apanham uns 40Km de terra e buracos. Nada que seja intransponível. Bissau tem crateras maiores neste momento. No posto fronteiriço também nos encontrámos (outro dos objectivos) com dois motociclistas que vieram da Alemanha e eram amigos de um dos nossos. Viajaram durante quase um mês e estão por cá uns dias de férias. Vendem as motas e regressam de avião.

Pirada não tem praticamente nada. Uma cancela que faz de fronteira, um posto de polícia, outro militar e a alfândega. Ainda se descobre uma rua principal, um mercado, um posto médico e uma estrutura do que em tempos foi um quartel português. Tem verde, terra encarnada e gente simpática.



Para quem olhar no mapa, cruza-se grande parte da Guiné-Bissau e chega-se ao sul do Senegal. Dá para descobrir um pouco mais do país e perceber que algumas cidades como Bafatá, foram típicas cidades portuguesas, bonitas, com construção colonial, cinema ou piscina.

2 comentários:

Menina Cheveux Bouclés disse...

Miguel,

Adorei ver o teu blog e gostaria de ter mais tempo para voltar a me dedicar ao meu e a contar as historias das chuvas e outras. Vejo também que a tua visão da Guiné é bastante positiva em varios aspectos. No incio, fui muito criticada pela visão negativa e é bom ver coisa diferente. Hoje também tenho uma visão super positiva do pais, mas não tenho mais tempo para falar sobre ele. Indicarei o teu blog na minha pagina. Fiquei com vontade também de te convidar a doar fotografias para o acervo das NU (com direito a créditos e tudo), mas isso é assunto que conversamos depois. Sobre a festa, estou sem telemovel porque fui roubada no domingo. Comprei um novo na MTN mas ainda não funciona, sabe-se la porque. Podes mandar um email avisando da hora e do que preciso levar? flaribas@gmail.com. Abraços para o Matteo. Obrigada, Flavia.

Clara Hugman disse...

Que bom chegar aqui e ver a Guiné através da tua escrita e fotos.
Gosto muito da tua escrita, a tua maneira positiva e humorista de ver a Guiné,é muito como eu sinto ,Miguel estou contigo!
Através das tuas fotos consegue-se ver a Alma doce destas crianças , fico emocionada positivamente.
Feliz continuação e um abraço.
Um abraço também a todos os amigos de Bissau que passam por aqui.
Clara